Gastroclínica de Palmas
LOGO GASTROCLÍNICA
 
Responsável Técnico Dr. Harley Pandolfi Jr. - CRM-TO 1240
RQE 1054 • RQE 1074 • RQE 470

Cirurgia por Videolaparoscopia VOLTAR

Mas o que é Cirurgia por Vídeolaparoscopia?

Também chamada de "Cirurgia a Laser" a Cirurgia Video-Endoscópica ou Video-Laparoscópica surgiu na Europa na década de 80 quando foi realizada a primeira cirurgia para retirada de vesícula biliar (colecistectomia) com o auxílio de uma câmera de video e sem a realização de um grande corte. A câmera amplia em 20 vezes a imagem para que o cirurgião opere com muito mais precisão.

 

No ínicio dos anos 90 já se realizava esta cirurgia no Brasil!

 

Quais as vantagens da Cirurgia por Vídeolaparoscopia?

A dor é muito menor porque é uma cirurgia minimamente invasiva. Como a dor é muito menor o paciente volta a andar, trabalhar, dirigir e fazer exercícios muito mais cedo.

 

A internação hospitalar é curta, em geral 24 horas o que junto com os cortes pequenos diminuem também as chances de infecção. O sangramento praticamente não existe e o trauma cirúrgico é incomparavelmente menor.

 

Como os cortes são mínimos a estética é muito melhor.

 

Quais as cirurgias que podem ser feitas por videolaparoscopia?

Com o sucesso na cirurgia da vesícula biliar (cálculos/pedras) a Videolaparoscopia ganhou grande popularidade na cirurgia geral, passando a ser utilizada em diversos outros procedimentos como Hérnia do Hiato ou Cirurgia do Refluxo Gastro-Esofágico, Cirurgia da Obesidade Mórbida (grampeamento e redução do estômago), Cirurgias do Útero e Ovários e algumas do intestino grosso (colon).

 

Em alguns casos selecionados pode-se realizar a cirurgia com algumas incisões de 2 mm, que representam um trauma ainda menor e uma estética ainda melhor. É a chamada Minilaparoscopia que beneficia ainda mais os pacientes em sua recuperação.

 

Para procedimentos selecionados existe também a chamada cirurgia por portal único ou Single Port ou ainda Single Site. Trata-se de uma cirurgia realizada por uma única incisão cirúrgica na cicatriz umbilical com a inserção de um trocarte de 3,0 cm por onde se introduz a ótica e os instrumentos cirúrgicos para a realização do procedimento.